segunda-feira, janeiro 09, 2006

Análise: O Anjo Exterminador

Por Carina Rabelo

O Anjo exterminador, filme do espanhol Luis Buñel, se enquadra no movimento do Surrealismo porque obedece aos cânones básicos do estilo, que foi fortemente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud. As obras surrealistas mostram a importância do inconsciente na criatividade dos indivíduos e defendem a liberdade da mente humana à lógica imposta pelos padrões comportamentais e morais estabelecidos pela burguesia. Sob esta perspectiva, o filme valoriza os sonhos, as informações do inconsciente e criticam indiretamente a superficialidade da classe burguesa, exatamente como orienta o surrealismo, onde não há uma crítica direta à realidade política e social da época.

Luis Buñel também apresenta uma obra repleta de humor, sonhos, utopias, contrária aos fatos lógicos esperados ao longo da narrativa. Outra semelhança entre o filme e os pressupostos do movimento é a fruição estruturada no conjunto da obra, não em suas partes. O surrealismo considera que o todo é formado tanto pela clareza dos aspectos do consciente como pelos elementos confusos, obscuros e aparentemente ilógicos do inconsciente humano, onde não há hipocrisias ou disfarces dos pensamentos mais proibidos e moralmente condenáveis.

Os fatos apresentados no filme não são explicáveis imediatamente. O entendimento se dá a partir de uma atitude reflexiva do conjunto dos eventos e não se sabe se os fatos são reais ou imaginados. O Anjo Exterminador, assim como os demais filmes surrealistas, assemelha-se a um quadro, que não pode ser fruído em suas partes isoladas, mas no ordenamento do todo – especialmente se o todo for constituído por elementos contraditórios, expostos através dos jogos do inconsciente. Outra característica comum entre os fundamentos do movimento e o filme de Buñel é a presença de uma dialética entre o estático e o dinâmico, que mescla momentos de estabilidade na narrativa com momentos de clímax e dinamismo.

Como estética, o surrealismo quis ir além da mera reprodução da realidade que até o momento imperava. Para o surrealismo toda expressão artística deve referir-se não ao modelo externo, mas sim ao interno, não condicionado por modelos culturais. Para atingir a esse "modelo interior", os surrealistas propuseram uma série de técnicas (automatismo, associações livres, hipnoses, "colagem" etc.), destinadas a liberar o potencial imaginativo e criativo do subconsciente. Os artistas do surrealismo utilizam múltiplos caminhos - sonhos, mitos, fantasias, visões, alucinações - para encontrar a percepção sensitiva e as possibilidades de expressão.

2.1) Elementos de surrealidade presentes no filme:

1)Inexplicavelmente, convidados de um jantar não conseguem sair da casa dos anfitriões, como se uma espécie de ‘força oculta’ os prendesse na sala por uma linha imaginária, exatamente como num sonho. Quantas vezes ‘sonhamos’ como sensações de clausura ou prisão sem que, necessariamente, algo de concreto restrinja a nossa liberdade? É assim que se sentem os personagens do “Anjo Exterminador” – eles jamais se certificam do fato de que não podem sair e já se conformam tacitamente com a situação de ‘feitiço’.

2)Comportamentos ilógicos: o cozinheiro e os empregados tiram de repente seus uniformes e fogem da casa enquanto os convidados estão chegando.

3)A anfitriã planejava um jantar cujos pratos principais seriam um urso ou um carneiro. No entanto, os animais estão vivos e transitam normalmente pela casa.

4)A bolsa de uma das convidadas está recheada de penas de galinhas e unhas de galo.

5)Os convidados ‘presos’ na casa resolvem dormir no chão e nos sofás da sala de estar. Para contrastar com o absurdo, o filme coloca ‘inserts’ da fachada da residência, mostrando que a propriedade é grande e que possui diversos cômodos, portanto, não haveria necessidade das pessoas dormirem amontoadas na sala.

6)Soldados são chamados para invadir a casa, porém não conseguem. Um corajoso garoto tenta entrar na casa, mas volta correndo. É como se existisse um portal que inibisse a passagem tanto dos convidados como dos seus salvadores.

7)Alguns convidados pegam um machado e abrem um buraco na parede para abrir um cano, em busca de água para beber.

8)Dois amantes se suicidam e os corpos são empilhados num quarto.

9)Todos os convidados abrem uma mesma porta que os leva a um tipo de ‘universo paralelo’, onde desfrutam de visões e alucinações. No entanto, não se sabe o que se passa de fato por de trás daquela porta.

10)Uma mão solta começa a perseguir uma mulher, que, no momento clímax da cena, acorda gritando. Não se sabe se foi sonho ou se aquela mão assustadora de fato existiu.

11)Um carneiro aparece na sala. É morto e preparado numa fogueira feita com a madeira dos móveis. O mordomo convida uma das senhoras presentes a saborear com ele bolinhas de papel distribuídas numa bandeja de prata.

12)Crítica à burguesia: os convidados sussurram maledicências sobre os demais participantes, com olhos ávidos cruzando uns aos outros, cheios de inveja. No entanto, todos, pelo menos aparentemente, se comportam como amigos. Um médico, indiscretamente, comenta que uma das convidadas ficará careca em uma semana.

13) No momento de intensa fome e privações, os burgueses se comportam exatamente como mendigos e miseráveis, atacando qualquer coisa comestível e brigando por alimento, mas continuam criticando e zombado os menos favorecidos.

14) Em busca de um retorno à realidade, os convidados refazem todas as ações que foram feitas até o início de toda a loucura e - num processo semelhante ao da hipnose - conseguem tranquilamente sair da casa, como se tudo não passasse de um tenebroso pesadelo.

15)Quando os personagens vão à igreja, o processo recomeça e todos ficam presos novamente. Neste momento, nem mesmo os cordeiros conseguem entrar no local. Diversos simbolismos podem ser destacados aí. O título do filme remete à presença metafórica de um anjo exterminador – que poderia ser lúcifer – e os cordeiros desgarrados dos seus pastores – que são os burgueses enclausurados.

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

No final, os cordeiros entram sim na igreja.

9 de setembro de 2008 18:00  
Blogger roqueiro said...

cara essse filme e muit bomm
gostei muit !!

14 de agosto de 2010 22:37  

Postar um comentário

<< Home